STARSKY & HUTCH - JUSTIÇA EM DOBRO

Starsky & Hutch é uma série televisiva norte-americana do gênero policial produzida pela Spelling-Goldberg Productions e exibida, originalmente, pela ABC entre 1975 e 1979. No Brasil, foi exibida pela Rede Bandeirantes, em 1978, entitulada "Starky & Hutch - Justiça em Dobro". Um filme foi produzido em 2004, estrelado por Ben Stiller e Owen Wilson.

Seus protagonistas eram os detetives David Michael Starsky (Paul Michael Glaser), de cabeleira negra volumosa e temperamento explosivo, e Kenneth Richard Hutchinson (David Soul), loiro, mais inteligente e comedido. A dupla era chamada para missões complicadas, em que ninguém, na polícia, tinha muita coragem de enfrentar. Seu principal informante era o malandro "Huggy Bear" (sem nome real conhecido), dono de um bar em que, frequentemente, tirava informações entre seus clientes, para, então, repassá-las aos detetives em troca de algum favor pessoal. Ao atenderem o sinal da rádio-patrulha, a dupla rasgava as ruas de Bay City, Califórnia, com um Ford Gran Torino 460, de 1973, vermelho brilhante, com grandes faixas brancas de vetor em ambos os lados, apelidado como "Tomate Listrado". O carro várias vezes "entregava" as emboscadas dos detetives, pois assoava a buzina quando a porta do motorista se abria. O banco traseiro era tão bagunçado que dificilmente se conseguia transportar os prisioneiros nele. Várias unidades Ford Gran Torino, dos anos 1974 a 1976, foram adquiridas pelos estúdios, pois os carros eram destruídos ou bastante maltratados durante as filmagens. Vale destacar que, apesar de muitos sites atribuírem à George Barris (o mais famoso customizador de veículos para filmes, séries televisivas e celebridades) o preparo deste Ford Gran Torino, na verdade Barris apenas replicou o veículo para exposições anos depois do encerramento da série televisiva.



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Ford Gran Torino de Starsky & Hutch foi produzida pela Greenlight, série "Hollywood", lote 18, em 2017, com a descrição de produto "1976 Ford Gran Torino" no blister. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado, pneus de borracha, e capô móvel, revelando o "motor". O sinalizador giroflex que Hutch encaixava no carro nas cenas de perseguições está presente na miniatura. Valem destaque, também, os faróis traseiros de plástico translúcido vermelho.

Confiram as fotos:

OS IRMÃOS CARA-DE-PAU

Os Irmãos Cara de Pau (no original The Blues Brothers) é um filme de comédia musical norte-americano de 1980, estrelado por John Belushi (como "Joliet" Jake Blues) e Dan Aykroyd (como Elwood Blues). Os personagens, vestidos pomposamente com ternos, chapéus e óculos escuros, já existiam antes do filme, sendo um projeto de banda de rhythm and blues (R & B), soul e blues do show televisivo Saturday Night Live. Estrelas musicais da época, como James Brown, Ray Charles e Aretha Franklin, fizeram "pontas" neste filme. É a nona maior bilheteria da história para filmes musicais e a décima maior entre os filmes de comédia. Rendeu uma sequência em 1998 ("Blues Brothers 2000") - que, no entanto, foi um fracasso de público e crítica.

Jake Blues acabou de cumprir três anos de prisão por roubos e ganha liberdade condicional. Logo de início, somos apresentados a um velho e surrado Dodge Monaco, sedan policial de 1974, com motor "440 Magnum" modificado para maior potência, que eles chamam de Bluesmóvel. É com este carro que Elwood Blues busca seu irmão na prisão. Os irmãos visitam um orfanato católico onde foram criados, na infância, e descobrem que o estabelecimento será fechado em razão de uma dívida de 5.000 dólares em impostos. Jake, então, tem a ideia de reformular sua banda rhythm & blues, "The Blues Brothers" (que se desfez graças à sua prisão), fazer um grande show e arrecadar dinheiro suficiente para salvar o orfanato. No entanto, acabam enfrentando vários percalços, como perseguições policiais espetaculares, brigas com os "Nazistas de Illinois" e uma mulher misteriosa, que atenta contra a vida deles com bombas e tiros de fuzil. Numa última tentativa de realizar um grande show antes do prazo de fechamento do orfanato, os irmãos montam um enorme auto-falante no topo do Bluesmóvel e saem alertando toda a população sobre um concerto que realizariam num hotel de Chicago. No local, tocam duas músicas para uma platéia lotada, assinam um contrato com uma gravadora, com adiantamento de 10.000 dólares, e correm para a prefeitura para pagar os impostos do orfanato.

Os Irmãos Cara de Pau detinha, na época, o recorde mundial de quantidade de carros destruídos em filmagens. O Bluesmóvel "exigiu" treze Dodge Monaco, 1974, todos comprados em um leilão da Patrulha Rodoviária da Califórnia, sendo alguns deles personalizados para altas velocidades e, outros, para saltos, dependendo da cena. Cerca de sessenta carros de polícia foram comprados, e a grande maioria deles foi destruída nas cenas de perseguição.



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do clássico Bluesmóvel com o alto-falante foi produzida pela Greenlight, em 2014, para a série "Hollywood Film Reels Series 1" - um set contendo quatro miniaturas de veículos do filme (incluindo, além deste modelo, um "Bluesmóvel" sem o alto-falante, um Dodge Monaco 1974 da polícia de Chicago e um Dodge Royal Monaco 1977 da polícia estadual de Illinois) protegidas por um caixa de metal imitando estojo de rolo de filme, com descrição de produto "The Blues Brothers". É die-cast, com base e carroceria de metal injetado e pneus de borracha. Valem destaque o capô móvel, que revela o "motor", e os faróis traseiros de plástico translúcido vermelho embutidos.

Confiram as fotos:

O IMBATÍVEL

O Imbatível (Stroker Ace, no original) é um filme estadunidense de ação e comédia de 1983, dirigido por Hal Needham e estrelado por Burt Reynolds como Strocker Ace, um piloto tricampeão da NASCAR para corridas de Waycross, na Geórgia. Acostumado com as vitórias, Strocker é arrogante, pomposo e mulherengo. Após brigar com o patrocinador da Zenon Oil, perde o contrato e se vê obrigado a encontrar um novo patrocinador. Clyde Torkel, um magnata de restaurantes fast-food Chicken Pit, o convence a assinar um contrato. Strocker o assina sem ler e acaba se deparando com uma série de infortúnios: seu carro de corrida, um Ford Thunderbird, 1983, nº 7, vermelho, deveria estampar o mascote da empresa (um frango correndo), com a enorme descrição "Chicken Pit" e o slogan "Fastest Chicken in The South!" ("O Frango Mais Rápido do Sul!") nas laterais e "Torkel Chicken" no capô; além disso, Strocker deveria vestir uma roupa com penas imitando um frango entre as apresentações. O piloto passa a ser motivo de chacota e tenta se livrar do contrato de diversas formas, sem sucesso. Ao final, divide-se entre fazer feio no campeonato (esperando, assim, perder o contrato) ou deixar seu ego falar mais alto e vencer a competição. Vale destacar que o filme foi um fracasso de público e de crítica, com cinco indicações ao "Framboesa de Ouro".



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Ford Thunderbird de Strocker Ace foi produzida pela Hot Wheels, para a série "Retro Entertainment", lote "D", em 2013, com a descrição "T-Bird Stocker" no blister. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado e pneus de borracha.

Confiram as fotos:

TIME BOKAN

Time Bokan é uma série de anime japonesa produzida pela Tatsunoko Productions em parceria com a Topcraft, exibida na Fuji TV entre 1975 e 1976, com 61 episódios de 30 minutos cada. Uma nova adaptação intitulada "Time Bokan 24" foi exibida entre 2016 e 2018.

Basicamente, o enredo relata uma equipe de heróis viajando pelo tempo, pelo espaço e, até, por dimensões fictícias, em suas máquinas do tempo (chamadas "Time Bokan") com formato de insetos, em busca do dr. Kieda - um cientista excêntrico que se perdeu em algum lugar do tempo e do espaço em busca de uma pedra preciosa poderosa chamada Dynamond. A equipe, frequentemente, se encontra com alguma personalidade histórica ou fictícia em suas viagens e, em algum momento, deve duelar com uma equipe de vilões que também possui sua própria máquina do tempo e está à procura do Dynamond para fins malignos.

Antes de desaparecer, o dr. Kieda criou três máquinas ao todo, sendo a Time Mechabuton a mais utilizada. Trata-se de um Time Bokan que se assemelha a um besouro rinoceronte japonês, de cor azul, com uma arma frontal moldada no nariz que serve de serra e escavadora rotativa; asas que se abrem como de insetos, capazes de criar tempestades de areia ao se baterem; lançador de mísseis defensivos; um pequeno submarino chamado "Strider-Marine"; e um dirigível de vigilância chamado "Ladybug-Drone", que pode operar sozinho.



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Time Mechabuton foi produzida pela Tomica, pela série "Dream Tomica", em 2012, com a descrição "Time Mechabuton" na caixinha. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado e pneus de plástico.

Confiram as fotos:

ROBOT KEIJI K

Robot Keiji K (ou Robot Detective) é uma série de TV tokusatsu (filmes e séries japoneses de super-heróis com ênfase em efeitos especiais) produzida pela Toei Company Ltd. e transmitida pela TV Fuji em 1973, com 26 episódios. Inspirado no mangá (quadrinho japonês) de Shotaro Ishinomori, Robot Keiji K (ou, simplesmente, "K") é um dos precursores dos chamados "Metal Heroes" (séries televisivas com heróis ciborgues de tamanho humano). Sua fama, no Japão, rendeu algumas referências, como o personagem "Q", do game Street Fighter III; e o policial Pero, do anime Metrópolis.

Trata-se de um robô criado pela cientista Saori, investigador da equipe forense especial do Departamento de Polícia Metropolitana de Tóquio. Tem forma humanoide e se veste como homem em suas missões; é muito inteligente, expressa emoções pelos olhos (que mudam de cor de acordo com seu estado) e possui várias armas embutidas pelo corpo - como o finalizador e o mais poderoso de seus golpes "Arma de Destruição de Robôs" (situada em seu peito), visão infravermelho, radar, armas sônicas, metralhadoras, injeção a jato nos pés para vôos curta distância, lançador de mísseis etc. Além disso, no "Modo Blow Up", seu corpo assume uma tonalidade vermelha e fica ainda mais resistente. Suas ações se concentram em neutralizar uma organização de robôs chamada BAD, liderada pelo gênio criminoso da robótica Kirishima. Sempre que necessita de reparos, K se dirige a uma fortaleza em forma de estátua chamada "Mother", onde reside sua criadora, Saori.

O carro de K é identificado como Joker, com inteligência artificial, capacidade de voar, mergulhar nas águas até uma profundidade de 300 metros e alcançar a velocidade de 500 km/h. Nos bastidores, Joker foi construído sobre um veículo esportivo Datsun 240z, 1972, da Nissan S30 (conhecido, no Japão, como Nissan Fairlady Z).



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Joker foi produzida no ano 2001 pela Hot Wheels em parceria com a empresa Bandai Co. Ltd., série especial "Charawheels" (lançada oficialmente apenas para o mercado japonês), com descrições de produto "Joker" e "Robotkeiji", no blister. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado e pneus de plástico.

Confiram as fotos: