JORNADA NAS ESTRELAS

Jornada nas Estrelas ("Star Trek" no original) é uma franquia norte-americana do gênero ficção científica de 1966, criada por Gene Roddenberry. Inclui 7 seriados para a televisão - The Original Series (de 1966 a 1969, com três temporadas), The Animated Series (de 1973 a 1974, com duas temporadas), The Next Generation (de 1987 a 1994, com sete temporadas), Deep Space Nine (de 1993 a 1999, com sete temporadas), Voyager (de 1995 a 2001, com sete temporadas) e Enterprise (de 2001 a 2005, com quatro temporadas) - 13 filmes para a televisão e para o cinema - Jornada nas Estrelas: O Filme (1979), Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan (1982), Jornada nas Estrelas III: À Procura de Spock (1984), Jornada nas Estrelas IV: A Volta para Casa (1986), Jornada nas Estrelas V: A Última Fronteira (1989), Jornada nas Estrelas VI: A Terra Desconhecida (1991), Jornada nas Estrelas: Generations (1994), Jornada nas Estrelas: Primeiro Contato (1996), Star Trek: Insurrection (1998), Jornada nas Estrelas: Nêmesis (2002), Star Trek (2009), Além da Escuridão - Star Trek (2013), Star Trek: Sem Fronteiras (2016), sendo que um 14º filme está em produção, sem data definida para lançamento - além de livros, histórias em quadrinhos, jogos eletrônicos e para tabuleiros e licenciamentos para brinquedos. Além de outros prêmios, as séries televisivas da franquia já venceram 31 Primetime Emmy Awards e o filme Star Trek (2009) venceu o Oscar de "Melhor Maquiagem". Trata-se de um fenômeno cult, com uma legião de fãs (chamados "Trekkies" ou "Trekkers"), eventos realizados por estes fãs e atrações temáticas em museus. Há um verbete no Guinness World Records de Jornada nas Estrelas como a série de televisão com o maior número de spin-offs da história.

A série "original", produzida pela Desilu Productions (depois pela Paramount Television) e exibida pela NBC em 1966, retrata uma tripulação a bordo na nave USS Enterprise, no século XXIII, protagonizada pelo Capitão James T. Kirk, o Primeiro Oficial Comandante Spock e o Oficial Médico Chefe Leonard McCoy. A tripulação recebeu a missão de explorar novos mundos e pesquisar por novas vidas e civilizações por 5 anos. Curiosamente, a série não obteve o sucesso necessário para se manter e foi cancelada no final da terceira temporada; mas as reprises, na década de 70, fizeram tanto sucesso, que a franquia acabou rendendo outros seriados televisivos. A nave original (e mais icônica) era chamada USS  Enterprise  (NCC-1701), construída no ano 2245. Ela apareceu também na The Animated Series, e nos dois primeiros filmes, sendo destruída em Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan. Ela reaparece no filme de 2009 (que se trata de um reboot da série original), porém com detalhes que a fizeram se assemelhar à NCC-1701 A (a segunda nave da série televisiva), destoando da NCC-1701 "original" (com luzes laranjas). Tinha 288.646 metros de comprimento; era armamentada de torpedos fotônicos e fasers, além de escudos defletores para defesa; e movida por motores de impulso e motores de dobra alimentados de antimatéria, sendo capaz de atingir a velocidade máxima "Warp Drive" (ou dobra espacial) 8 (equivalente à velocidade da luz multiplicada por 1024), por nove minutos. Nos bastidores, a nave era uma miniatura de 3,4 metros, construída em gesso, chapa e madeira, com 125 kg, por Volmer Johnson e Production Model Shop.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho da USS  Enterprise  (NCC-1701) foi produzida em 2014 pela Hot Wheels, para a série Retro Entertainment, lote A, com descrição de produto "Star Trek" e "U.S.S Enterprise NCC-1701" no blister. É die-cast, com partes de metal fundido e partes de plástico. A miniatura merece críticas negativas por se destoar do modelo original, especialmente pelo acabamento arredondado do domo e pelas turbinas de plástico mole. Os detalhes das turbinas foram reduzidos a decalques simplistas. Basicamente, trata-se do mesmo modelo lançado em 2013, na linha básica, com decalques pouco melhorados. Vale a aquisição apenas por ser o único modelo oficial de 3 polegadas da nave. Destaca-se, por fim, que a miniatura não é referencial da série televisiva "original", mas, sim, do filme de 2009, com detalhes azuis.

Confiram as fotos:

MACHINE HAYABUSA

Machine Hayabusa é uma série de anime de 1976, com apenas 1 temporada de 21 episódios, produzida pela Toei Animation, no Japão. Foi relançado para DVD em 2017. Seu enredo trata de uma acirrada competição entre duas equipes de corrida de super-carros: "Black Shadow", uma organização sombria liderada pelo misterioso Ayab Mobil Dick, e "Saionji Racing Team", liderada pelo Dr. Saionji. Black Shadow vencia todas as corridas com táticas antiéticas e manobras sanguinárias. Até que enfrentam o jovem corredor Ken Hayabusa, que deseja vingar a morte de seu pai, assassinado durante uma corrida com a Black Shadow. Seu carro é o Falcon Hayabusa Special, construído por seu pai e pelo dr. Saionji, de número 1, design futurista e equipado por Cavalier Engine (um potente motor a jato). A cada vitória, as corridas vão se tornando mais intensas e perigosas. Constantemente, a Saionji Racing Team deve equipar seus carros com motores mais potentes e novas funcionalidades para competir com os carros da Black Shadow.



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Falcon Hayabusa Special foi produzida em 2002 pela Hot Wheels em parceria com a empresa Bandai Co. Ltd., série especial "Charawheels", com descrição de produto "Machine Hayabusa" no blister. É die-cast, com base e carroçaria de metal injetado e pneus de plástico.

Confiram as fotos:

GUARDIÕES DA GALÁXIA

Guardiões da Galáxia - ou Guardiões da Galáxia Vol. 1 (Guardians of the Galaxy, no original) é um filme norte-americano de 2014, dirigido e roteirizado por James Gunn, baseado em personagens homônimos da Marvel Comics. O filme foi produzido pela Marvel Studios e distribuído pela Walt Disney Studios Motion Pictures, sendo o décimo filme da chamada Universo Cinematográfico da Marvel (MCU). Foi um sucesso de crítica e de público, arrecadando mais de US $ 772 milhões. Recebeu indicações ao Oscar por "Melhores Efeitos Visuais" e "Melhor Maquiagem". Uma sequência foi lançada em 2017 (Guardiões da Galáxia Vol. 2) e um terceiro filme está sendo desenvolvido.

A história se inicia com Peter Quill (Chris Pratt), um mercenário que se autoentitula "Senhor das Estrelas", tentando roubar uma esfera metálica no planeta Morag. O roubo é bem sucedido, mas Quill acaba sendo alvo do terrorista Ronan (Lee Pace), que envia a assassina Gamora (Zoe Saldana) em seu encalço e espalha a notícia de uma recompensa por sua captura. No planeta Xandar, Quill acaba sendo interceptado por Gamora e dois caçadores de recompensas, Rocket Raccoon (um guaxinim geneticamente modificado) e Groot (uma árvore humanóide), mas todos acabam presos pela Tropa Nova. Na prisão, ainda conhecem Drax, o Destruidor (Dave Batista), cuja família foi aniquilada por Ronan. Os personagens acabam formando uma equipe e conseguem fugir da prisão. Uma batalha final acontece em Xanar, e Quill e sua equipe é chamada por Ronan, de forma debochada, de "Guardiões da Galáxia".

Peter Quill pilotava uma nave chamada Milano desde os 10 anos de idade, para realizar saques e pirataria no espaço. Tinha este nome em homenagem à atriz Alyssa Milano, paixão de Quill na adolescência. É uma nave tipo "M" (tamanho médio e capaz de transportar uma tripulação pequena) dos Devastadores (equipe de piratas espaciais liderada por Yondu, pai adotivo de Quill). Foi destruída por Ronan, mas reconstruída pela Tropa Nova, após os "Guardiões da Galáxia" salvar Xanar. Porém, no filme "Guardiões da Galáxia 2" a Milano é destruída novamente. A nave é o veículo dos Guardiões nos quadrinhos e séries animadas, com designs muito semelhantes. Nos bastidores, a Milano do filme foi projetada por Charles Wood, famoso designer de produção de Hollywood, e construída pela Atomhawk Design Studios. Seu interior foi trabalhado pelo designer de interiores Richard Roberts.


A miniatura em escala 1:64 que tenho da nave Milano foi produzida em 2017 pela Hot Wheels, série "Replica Entertainment", lote C, com descrições de produto "Guardians of the Galaxy Vol. 2" e "Milano" no blister. É die-cast, com carroceria e base de metal injetado, acompanhado por uma estrutura de acrílico removível que suspende a miniatura.

Confiiram as fotos:

HAPPY DAYS - DIAS FELIZES

Happy Days: Dias Felizes (Happy Days no original) é uma série televisiva norte-americana estilo sitcom (comédia do cotidiano) de 1974,  criada por Garry Marshall, exibida na ABC, com 11 temporadas e um total de 255 episódios de meia hora cada. Foi uma das séries mais bem sucedidas da década de 70, especialmente a partir da terceira temporada, quando se enfatizou a comédia. Além de influenciar o estilo televisivo da época, a série deu origem a vários spin-offs (Laverne & Shirley, Blansky's Beauties, Mork & Mindy, Out of the Blue, Joanie Loves Chachi), alguns romances não oficiais, histórias em quadrinhos pela Western Publishing, duas séries animadas produzidas pela Hanna-Barbera Productions em associação com a Paramount Television, e dois shows musicais: "Happy Days: The Arena Spectacular" e "Happy Days: A New Musical".

Happy Days se situa em Milwaukee, de Wisconsin, na década de 50. Seu protagonista é o adolescente Richie Cunningham e o enredo apresenta sua família: Howard (seu pai, dono de uma loja de ferragens), Marion (sua mãe, dona de casa), Joanie (sua irmã mais nova); e seus amigos: Arthur "Fonzie" (personagem secundário que, por seu carisma e atitude, acabou ofuscando a popularidade do protagonista), Potsie Weber e Ralph Malph, cada um com uma personalidade bem diferente do outro. O enredo basicamente era situado em barzinhos e lugares cotidianos dos anos 50, com os adolescentes ouvindo música e flertando garotas. Ralph Malph, o comediante da turma, era proprietário do veículo mais interessante da série: um Roadster criado a partir de um modelo A da Ford, de 1929, alimentado por motor V-8. Inicialmente projetado para ser um veículo de corrida, acabou se tornando um carro de passeio. O Hot-Rod (carros customizados a partir de modelos antigos, geralmente com motores cromados expostos e de alta performance) amarelo era chamado Hi-Boy. Tinha capacidade para transportar duas pessoas, mas havia uma pequena caçamba traseira em que os demais amigos se instalavam.


A miniatura em escala 1:64 que tenho do Hi-Boy Roadster Pickkup foi produzida em 2003 pela Johnny Lightning, série "Hollywood On Wheels", com descrições de produto "Happy Days" e "Ralph Malph's Hot Rod" no blister. É die-cast, com carroceria e base de metal injetado e pneus de borracha.

Confiiram as fotos:

TOY STORY - UM MUNDO DE AVENTURAS

Toy Story - Um Mundo de Aventuras ("Toy Story", no original) é uma animação norte-americana de 1995 produzida pela Pixar Animation Studios e lançada pela Walt Disney Pictures. Foi o primeiro longa-metragem animado produzido exclusivamente por computador. Dirigido por John Lasseter, com roteiro inspirado num curta de 1988, "Tin Toy" (vencedor do Oscar de "Melhor Curta-metragem Animado"), também desenvolvido por Lasseter. Foi um grande sucesso de crítica, com 100% de aprovação no site agregador de opiniões Rotten Tomatoes; arrecadou mais de US $ 350 milhões em todo o mundo e muitos prêmios, especialmente oito Annie Awards (incluindo "Melhor Animação"), além de comumente registrado em listas de melhores animações da história. Gerou um relançamento em 3D, em 2009, e três sequências: "Toy Story 2" (1999), "Toy Story 3" (2010) e "Toy Story 4" (2019), além de spin-offs, curtas-metragens, atrações de Walt Disney World e Disneylândia, e diversos licenciamentos para brinquedos e videogame para Sega Genesis, Super Nintendo Entertainment System, Game Boy e PC, além do jogo "Toy Story Racer", para PlayStation.

O enredo trabalha na possibilidade de brinquedos ganharem vida, embora finjam-se inanimados quando os humanos estão presentes. Woody, um boneco de pano cowboy, é o brinquedo favorito do garoto Andy Davis. No entanto, numa festa de aniversário, Andy ganha um Buzz Lightyear, um boneco astronauta que era a maior sensação do momento. O Buzz rapidamente substitui a atenção de Andy por Woody, passando a ser o favorito. Dois dias depois, a mãe de Andy o chama para um passeio no restaurante Pizza Planet e permite que o filho leve consigo apenas um brinquedo. Temendo que Buzz fosse o escolhido, Woody inicia uma briga com ele e acaba empurrando-o pela janela. Andy, chegando no quarto, não encontra Buzz e acaba levando Woody. No carro, Woody descobre que Buzz havia pegado carona no carro da família, pendurando-se no carro. Ao parar num posto de combustível, Woody começa a brigar com Buzz, até que o carro parte, deixando os dois brinquedos para fora. Tem início, então, uma aventura de volta para casa.

O filme não dá destaque para veículos. Porém, um interessante truck amarelo com uma capota branca, bastante surrado, com a miniatura de um foguete no teto e descrição "Pizza Planet Delivery Shuttle" nas portas laterais, aparece poucas vezes. Em "Toy Story 2", o veículo é especificado como sendo um Gyoza Mark VII, de 1978. No entanto, seu modelo é basicamente um Toyota estilizado (inclusive, os caracteres Y e O na traseira indica a mesma fonte de letra da Toyota Hilux). Apesar de não passar de "veículo de fundo", o pick-up retorna em "Toy Story 2", "Toy Story 3" e em diversas outras animações, como easter egg (elementos escondidos em filmes como referência a outros filmes ou cultura pop). Ele aparece em "Vida de Inseto", "Monstros S.A.", "Universidade Monstros", "Procurando Nemo", "Ratatouille", "Carros", "Carros 2", "Wall-E", "Up - Altas Aventuras", "Divertidamente" e, até, em "Valente".


A miniatura em escala 1:64 que tenho do "Gyoza" Pizza Planet foi produzida em 2019 pela Hot Wheels, série "Replica Entertainment", lote "C", com descrição de produto "Toy Story" e "Pizza Planet Truck" no blister. É die-cast, com carroceria e base de metal injetado e pneus de borracha.

Confiram as fotos: