BATMAN 1968

Batman é um personagem fictício de histórias em quadrinhos criado por Bob Kane e Bill Finger. Trata-se de um herói humano, herdeiro de uma imensa fortuna deixada por Thomas e Martha Wayne, que compensa a falta de super-poderes com muita habilidade nas artes marciais, fenomenal inteligência dedutiva, vários dispositivos escondidos em seu cinto e, especialmente, seus veículos automotores dotados de armamentos e funcionalidades diversas - os batmóveis (batmobiles).

Na história de Batman, os quadrinhos, filmes e séries televisivas apresentaram diversos designs de batmóveis. Dentre eles, aquele concebido por Frank Springer, nos anos 1968 e 1969. Seu carro apareceu pela primeira vez na história "The Riddler's Prison-Puzzle Problem!" (revista Detective Comics nº 377) e apresentava um desenho exclusivo, fora dos moldes do batmóvel da série televisiva dos anos 60. O conceito marcou época, pois os desenhistas, até então, se baseavam no Lincoln Futura para os batmóveis. A versão de Frank Springer é um conversível de barbatanas lisas, dianteira afilada com um emblema que lembra a cabeça de Batman, um par de escapamentos traseiros e arestas mais arredondadas.



A miniatura em escala 1:64 que tenho deste Batmóvel foi produzida pela Johnny Lightning, em 2002, com descrição de produto "1960's DC Comics Batmobile" na caixa. É die-cast, com base e carroceria em metal, pneus de borracha e capô móvel. Deve de ser montada manualmente, utilizando uma chave de fenda própria que vem como parte integrante na embalagem. Apresenta um gancho traseiro em que é possível acoplar outro modelo lançado pela marca no mesmo ano: um Batboat.

Confiram as fotos:

THE CIRCUIT WOLF

The Circuit Wolf ("Circuit no amikami" ou "Sākitto no Ōkamii" no original) é um mangá shonen (tipo destinado aos adolescentes masculinos, de faixa etária de 12 a 18 anos) de aventura de autoria de Satoshi Ikezawa, publicada pela Weekly Shōnen Jump, de 1975 a 1979. Originou um filme de ação "live action", em 1977, e um anime OVA, em 1990. Narra a história de um jovem mecânico de automóveis, Yuya, que sonha em se tornar piloto de corrida. Seu esforço é recompensado quando é chamado para participar do torneio "The Circuit Wolf", um evento de supercarros, pilotando um Lotus Europa SP, 1975, branco e atravessado por uma faixa vermelha alinhada à direita, com aerofólio.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Lotus Europa SP foi produzida em 2017 pela Tomica, série "Dream Tomica", nº 148, com descrições de produto "The Circuit Wolf: Lotus Europa SP" na caixinha. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado, pneus de plástico com suspensão nos eixos.

Confiram as fotos:

HOT WHEELS: ACCELERACERS

Hot Wheels: Acceleracers é uma série norte-americana animada por computador de 2005 produzida pela Mainframe Entertainment, distribuída pela Warner Bros. Television e exibida originalmente pela Cartoon Network. Trata-se de uma sequência de Hot Wheels: Via 35 - Corrida Mundial, mas com inclusão de novos personagens, novos veículos e universos diferenciados. Ao todo, foram produzidos quatro filmes de 60 minutos cada. Em mídia doméstica (DVD), há 16 episódios extras de curta duração.

Hot Wheels: Acceleracers se inicia alguns anos depois dos eventos de Hot Wheels: Via 35 - Corrida Mundial (uma competição por uma rodovia alienígena de outra dimensão em busca de uma fonte inesgotável de energia chamada "Anel do Poder"), quando o cientista Peter Tezla, fundador da Corporação Scrim e organizador da Corrida Mundial, descobre que o Anel do Poder poderia abrir portais para outros mundos de corrida chamados "Reinos de Corrida". Cada um dos reinos tinha propriedades diferentes (o "Reino do Nevoeiro" era de baixa visibilidade; o "Reino da Distorção" oferecia ilusões de ótica e baixa força gravitacional; no "Reino da Tempestade" a pista entrecortava nuvens tempestuosas, etc.) e poderiam conceder, ao final de cada pista, um cartão de energia chamado "AcceleChargers". Cada cartão era capaz de dar aos carros poderes sobrenaturais e habilidades extras para vencer outros reinos. Assim, Tezla convoca os competidores da Corrida Mundial para correr pelas vias alienígenas contra um grupo de androides comandados por Gelorum, que estava coletando AcceleChargers para se apossarem do Anel do Poder.

Peter Tezla organizou dois grupos para a corrida: Teku e Metal Maniacs. A Teku era liderada por Josef "Vert" Wheeler (antigo líder dos "Detonadores de Ondas", dos eventos da Corrida Mundial). Inicialmente, dirigiu um Deora II branco, até que o veículo foi destruído na corrida pelo "Reino da Tempestade". Assim, Vert passou a dirigir um HW Power Rage, branco. O carro tinha carroceria de fibra de carbono sobre chassi de alumínio com neon na base. Contava com dois alto-falantes, dois tweeters e NO2 para impulsão de velocidade. Seu motor de cilindro turbo de 2,8 litros e 4 cilindros gerava 410 c.v., alcançando de 0 a 60 mph em 3,3 segundos. Foi destruído após a corrida pelo "Reino da Água". Nos bastidores, o carro foi desenhado por Eric Tscherne, em 2005.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Power Rage de Vert Wheeler foi produzida em 2005 pela Hot Wheels para a série "Hot Wheels: Acceleracers", com descrição de produto "Car: Power Rage" no blister. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado e pneus de plástico.

Confiram as fotos:

EMERGÊNCIA

Emergência ("Emergency!" no original) é uma série de televisão dramática norte-americana produzida pela Mark VII Limited e Universal Television, de 1972 a 1977, criado e produzido por Jack Webb e Robert A. Cinader, e exibido na NBC. A série ajudou a popularizar os serviços de ambulância e o papel dos paramédicos. Um livro - intitulado "Emergency!: Behind The Scenes", de 2008 - da Universidade de Baltimore, creditou à série o crescimento das unidades paramédicas nos Estados Unidos, inclusive na promulgação de leis que ampliaram o papel dos paramédicos. Por sua importância, vários elementos da série - inclusive os fictícios, da Estação 51 - estão expostos no Museu Nacional de História Americana e no Museu do Fogo do Condado de Los Angeles. Originou um spin-off com a série policial Adam-12, uma série animada na NBC, histórias em quadrinhos da Charlton Comics, filmes para a televisão ("The Steel Inferno", "Survival on Charter #220", "Most Deadly Passage", "What’s a Nice Girl Like You Doing?", "Greatest Rescues of Emergency!" e "The Convention"), além de vários personagens e elementos da Estação 51 terem aparecido em outras séries e documentários.

"Emergência" retrata a rotina dos bombeiros e socorristas da fictícia Estação 51, de Los Angeles. Uma dupla, formada pelos socorristas Randolph Mantooth e Kevin Tighe, se destaca, liderando o "Esquadrão 51", em equipe com profissionais do fictício Rampart General Hospital. Geralmente, os episódios abriam com os personagens em serviços cotidianos, como cozinhar, limpar equipamentos ou dormir, quando a rotina era interrompida por uma ligação descrevendo uma emergência e sua localização. As equipes, então, se reúnem às pressas e partem em missão de resgate ou pronto-socorro. As emergências em geral eram originadas de grandes acidentes, incêndios e desastres, com várias vítimas, envolvendo muitas unidades. A trama era gravada para parecer documentário, mas não passava de atuações. Inclusive, o Corpo de Bombeiros intitulado Estação 51 era, na verdade, o quartel Los Angeles County Fire Department - LACoFD 127. O Dodge D-300, de 1972, vermelho, principal viatura do quartel, foi construído pela Universal Television replicando veículos da LACoFD, com poucas modificações. Vários destes veículos construídos foram doados à  LACoFD, após as filmagens. Em 1999, as viaturas foram doadas para o Museu do Fogo do Condado de Los Angeles.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Dodge D-300 da Estação 51 foi produzida pela Hot Wheels, série "Retro Entertainment", em 2015, com a curiosa descrição de produto "Rapid Responder" no blister no lugar de Dodge D-300. Isto, porque o design de Rapid Responder, de autoria de Larry Wood, com primeiro modelo lançado em 1986, é baseado no Dodge D-300, embora com algumas diferenças. A Mattel comumente faz uso de um mesmo molde para lançar miniaturas de variadas cores, barateando o custo de produção. A miniatura é die-cast, com base e carroçaria de metal injetado e pneus de borracha.

ÁGUIA DE FOGO

Águia de Fogo ("Airwolf" no original) é uma série televisiva norte-americana militar de 1984 a 1987, criado por Donald P. Bellisari e transmitida, originalmente, pela CBS, com quatro temporadas e 80 episódios no total. Curiosamente, a CBS encerrou a série na terceira temporada, em 1986. No entanto, o canal a cabo USA Network adquiriu os direitos sobre ela e produziu 24 novos episódios - porém com várias mudanças que acabaram desagradando ao público e levando ao seu encerramento definitivo em 1987. A série foi baseada em um filme de mesmo nome feito para a televisão, em 1984. Originou alguns romances baseados, especialmente, na primeira temporada, e vários videogames para Atari, Arcade, Mega Drive, Nintendo Entertainment System e outros.

Seu enredo principal focava em missões exóticas, geralmente envolvendo espionagem. Águia de Fogo (às vezes conhecido como "A Dama") é um helicóptero de alta tecnologia e intensamente armado, com capacidade para 10 tripulantes. Seu design o fazia ser confundido com um helicóptero civil, embora fortemente militarizado (daí se dizia ser um "lobo em pele de cordeiro"). Era capaz de ser manobrado pelos modos "Cruzeiro Normal" (Normal Cruise Mode - velocidade normal), "Supervelocidade" (Super Pursuit Mode - permitindo atingir velocidade Mach 1, equivalente à de caças supersônicos), "Supervelocidade Extrema" (Extreme Super Pursuit Mode - permitindo atingir a velocidade Mach 2, ou duas vezes mais rápido que a velocidade do som, sendo capaz de atingir a estratosfera; além disso, neste modo, o helicóptero gerava um efeito sonoro capaz de quebrar vidros) e "Furtivo" (que o torna invisível a radares). A cada temporada acabava-se incluindo alguma utilidade nova ao helicóptero, mas seu arsenal principal incluía o "Canhão Vulcão" ou "Pod Lança-Mísseis" (All Directional Firing: um pod retrátil triplo direcionável capaz de lançar vários mísseis ar-ar e ar-terra), metralhadoras retráteis (Machine Guns ou Chain Guns: capazes de abater aviões e rasgar tanques de guerra), além de mísseis "Explosão Solar" (atraídos por calor), Chaffs (teleguiados) e "Hellfires" (eficazes contra blindados e veículos terrestres). Seu sistema era capaz de identificar aeronaves e veículos por visão infravermelha, acessar e danificar computadores, interceptar conversas por rádio e telefone e interromper sistemas elétricos.

No show, o helicóptero é um blindado projetado por Charles Henry Moffet, um gênio psicopata, e construído por uma agência de inteligência chamada "A Firma". Após construído, o próprio Moffet o rouba e o utiliza para matar um senador norte-americano e praticar terrorismo na Líbia. Nisso, Michael Coldsmith-Briggs III (de codinome "Arcanjo"), vice-diretor da "Firma", recruta Stringfellow Hawke para recuperar o helicóptero. Nos bastidores, Águia de Fogo foi construído sobre um helicóptero civil Bell 222, número de série 47085, de 1983. Foi pintado em "Phantom Grey Metallic" na parte superior e cinza-pérola personalizado na parte inferior. Várias modificações alteraram significativamente a aparência original do Bell 222, como turbojatos, bico de reabastecimento de ar e capota de bolha no nariz.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Águia de Fogo foi produzida em 2002 pela Hot Wheels em parceria com a empresa Bandai Co. Ltd., série especial "Charawheels", com descrições de produto "Airwolf" no blister. É die-cast, com base e carroceria de metal injetado e hélices de plástico.