BATMAN 1989

Batman é um filme norte-americano de 1989 baseado no personagem homônimo da DC Comics, dirigido por Tim Burton e produzido pela Warner Bros. É estrelado por Michael Keaton (Bruce Wayne/Batman) e Jack Nicholson (Coringa). Ganhou o Oscar de "Melhor Direção de Arte" e seu tom estilo gótico-noir-steampunk influenciou vários projetos futuros da DC Comics, especialmente a série "Batman: The Animated Series". Conta a ascensão do personagem Coringa no mundo do crime, com algumas "licenças criativas" - como o verdadeiro nome do vilão (Jack Napier) e sua ligação direta com a morte dos pais de Bruce Wayne (elementos que nunca foram mostrado nos quadrinhos). Gotham City é uma cidade sombria, de prédios decadentes e cheia de gárgulas monstruosas, tomada por um chefe do crime (Carl Grissom) e policiais corruptos. No entanto, uma lenda de que um "morcego" de forma humanoide estava caçando bandidos começou a se difundir. Jack Napier, um dos capangas de Carl Grissom, é compelido a roubar uma indústria quando, ao ser impedido por Batman, acaba caindo num tonel de substância química desconhecida e emergindo com o rosto desfigurado (branco, com um sorriso permanente e cabelos verdes). Nisso, assume a identidade de Coringa, mata Carl Grissom, vandaliza um Museu de Arte para impelir a repórter Vicki Vale a publicar seus feitos e espalha, pela cidade, um cosmético venenoso. A história de Bruce Wayne - de seus pais sendo assassinados na infância por Jack Napier - também é explorada neste filme, sendo sua principal motivação para assumir a identidade de Batman.

A "mitologia" Batman sempre explorou os veículos com temática de morcego, especialmente os Batmóveis, imponentes carros cheios de recursos tecnológicos. O batmóvel deste filme (que também foi utilizado em "Batman: O Retorno", de 1992) talvez seja o mais icônico da cinematografia de Batman. Um carro de presença ameaçadora, que combinava força bruta com uma estética clássica. Contava com motor a jato, turbinas e um impressionante arsenal embutido, como lançadores laterais de bombas, metralhadoras frontais e emissores de fumaça. Foi desenhado por Anton Furst, o próprio Designer de Produção do filme, e construído sobre dois chassis de Chevrolet Impala 1974, equipado com um motor Ford V8 e carroceria feita de fibra de vidro. Tinha quase 7 metros de comprimento por 3 de largura e podia chegar a uma velocidade de 250 km/h. Havia uma entrada de ar para a turbina em sua fronte, ladeada por para-lamas que se pareciam mandíbulas, e sua traseira lembrava o design dos carros da década de 30, com turbina e aletas que remetiam à ideia de asas de morcego.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do maravilhoso batmóvel deste filme foi produzido pela Tomica, marca da empresa Takara Tomy, pela série "Batmobile Collection" do selo "Tomica Limited", em 2012. É die-cast, com chassis e carroceria de metal injetado, para-brisas de plástico transparente, pneus de borracha e amortecedores nas rodas.

Confiram as fotos:

PJ MASKS - HEROIS DE PIJAMA

PJ Masks - Heróis de Pijama (PJ Masks) é uma série de desenhos animados britânico-francesa produzida em CGI pela Entertainment OneFrog Box, TeamTo e France5, exibida pela Disney Juniors da Disney Channel nos Estados Unidos e no Brasil. A série é baseada nos livros "Les Pyjamasques" de Romuald Racioppo. Trata de 3 crianças de 6 anos de idade que, de dia, vivem a vida normalmente, estudando e brincando com seus amigos. À noite, quando sentem que algo está errado com a cidade (geralmente por ação de vilões que também são crianças), vestem pijamas especiais e se transformam em super heróis baseados em pequenos animais, como Menino Gato (o líder da equipe, sendo o mais rápido e mais velho deles), Corujita (capaz de voar e enxergar à grande distância) e Lagartixo (capaz de escalar paredes). Cada um deles conta com um veículo especial, como o "Felinomóvel", o "Planador Coruja" e o "Lagartixomóvel", cada um com seus recursos específicos, e todos podem ser utilizados pelos três personagens juntos.

O Felinomóvel (Cat-Car) pertence ao Menino Gato. É o veículo mais rápido dos três, com rodas de luz azul e cheio de recursos, como emissão de som capaz de interromper a transmissão elétrica, projetor de bolas de pelo e sistema ejetor equipado com pára-quedas, para empurrar os passageiros para fora do veículo, caso necessário.


A miniatura em escala 1:64 do Felinomóvel que eu tenho foi produzida pela TeamsterZ, em 2017, série 1, marca PJ Masks. É die-cast, com chassis e rodas de plástico e carroceria de metal injetado.

Confiram as fotos:

60 SEGUNDOS

60 Segundos (Gone in Sixty Seconds, no original) é um filme de ação norte-americano de 2000 lançado pela Disney e estrelado por Angelina Jolie e Nicolas Cage. É baseado num filme homônimo de 1974. Nele, Randall "Memphis" Raines era um eficiente ladrão de carros de Los Angeles, capaz de surrupiar qualquer veículo - especialmente possantes de luxo - em 60 segundos; até que decide se "aposentar" do crime. No entanto, seu irmão caçula, Kip, inspirado pelos golpes de Randall, seguiu por este caminho... até descumprir um acordo com o traficante Raymond Calitri. Para salvar a vida do irmão, Randall concorda em roubar todos os 50 carros de luxo de uma lista de Raymond em 72 horas. Para cumprir a missão, "Memphis" chama seus velhos companheiros de crime e a ação começa, com muita correria, manobras espetaculares e perseguições de carros. "Memphis" tinha por hábito chamar cada carro por nomes de mulheres e tratava as "garotas" com muito carinho.

Na lista, a grande "paixão" de Randall era Eleanor, um Shelby Mustang GT 500 de 1967 modificado. Ele lhe dedicava uma atenção especial, pois todas as tentativas anteriores de roubá-lo falharam. O carro foi o último a ser levado e as melhores cenas de perseguição do filme foram "protagonizadas" por ele. A empresa Cinema Vehicle Services, especializada em criar veículos para produções cinematográficas, chegou a construir 12 réplicas da "Eleanor", mas, curiosamente, nenhuma delas foi sobre um legítimo Shelby Mustang GT 500, mas cópias montadas sobre Mustangs 289. Uma 13ª "Eleanor" foi construída (esta, sim, baseada no GT-500 de 1967), mas não foi utilizada no filme.


A miniatura em escala 1:64 que tenho de Eleanor foi produzida pela Greenlight em 2017, pela série Hollywood (lote 7). É die-cast, com carroceria em metal injetado e pneus de borracha. A confecção desta miniatura foi tão minuciosa que conta com retrovisores e faróis de plásticos embutidos.

Confiram as fotos

É possível abrir as portas laterais e o capô da miniatura, revelando seus interiores (algo especialmente raro de se verificar numa miniatura em escala 1:64).

BATMAN - A SÉRIE TELEVISIVA DOS ANOS 60

Batman (também conhecida como Batman e Robin) foi uma série de televisão norte-americana exibida entre 1966 e 1968, com 3 temporadas e 120 episódios, além de um filme em 1966 ("Batman, o Homem-Morcego"). No Brasil, foi inicialmente exibida pela SBT nos anos 90. Narrava a luta do personagem homônimo contra o crime, auxiliado por seu parceiro Robin, seu mordomo Alfred e pelo comissário de polícia Gordon. Praticamente todos os vilões clássicos dos quadrinhos se fizeram presentes na série, especialmente Coringa, Pinguim, Charada e Mulher-Gato. Suas características marcaram época: a música de abertura, as lutas entrecortadas por desenhos de onomatopeias (Pow, Soc, Crash), o uso do prefixo bat em vários objetos da dupla-dinâmica ("bat-sinal", "bat-caverna", "bat-computador", "bat-laboratório"), as escaladas pelos prédios usando uma corda, o jargão de Robin (Santa - "alguma coisa" - Batman!) etc. A série tinha um evidente tom cômico. Não que se tratasse essencialmente de uma comédia, mas a forma física de Adam West (Batman/Bruce Wayne), as lutas mal coreografadas e os vários momentos hilários destoavam-se das aventuras do herói nos quadrinhos (quase sempre amargurado e sombrio) e tornavam a série bem humorada. Praticamente uma paródia. Mas uma paródia divertida que marcou gerações.

Para se locomoverem por Gotham, Batman e Robin faziam uso de um dos veículos mais icônicos da história de Hollywood: o Batmóvel, criado a partir de um modelo Lincoln Futura, 1955, customizado por George Barris (um dos mais famosos customizadores de carros para filmes e celebridades da época). Era quase totalmente preto, com linhas vermelhas e emblemas do morcego nas portas laterias e nas rodas, turbina, baterias atômicas, sirene, motor V8, diversos apetrechos embutidos e até telefone. O Lincoln Futura foi um conceito criado em 1955 pela Ford e apresentado no Salão de Chicago daquele ano na cor azul. Apesar do relativo sucesso, foi logo abandonado. Até que, no final de 1965, o estúdio 20th Century Fox Television contratou Barris para criar um carro para esta série televisiva e o conceito foi adquirido pelo valor simbólico de um dólar e customizado em apenas 15 dias!


A miniatura em escala 1:64 que tenho do Batmóvel mais famoso e querido pelos fãs foi produzida pela Hot Wheels, marca da empresa Mattel, em 2013, pela série Retro Entertainment. É die-cast, com carroceria de metal injetado e pneus de borracha.

Confiram as fotos:

TRON: O LEGADO

TRON: O LEGADO (Tron Legacy, no original) é um filme norte-americano de ficção científica de 2010, em continuação de Tron: Uma Odisseia Eletrônica, filme de 1982. A trama se inicia 20 anos depois dos eventos do primeiro filme, com o desaparecimento de Kevin Flynn (Jeff Bridges), o milionário dono da empresa de softwares ENCOM. Seu filho, Sam, acredita ter sido abandonado pelo pai na infância e se recusa a assumir a empresa. Um dia, é contatado por Alan Bradley, velho conhecido de seu pai, que diz ter recebido um "bipe" de Flynn. Sam é intrigado a visitar uma velha loja de fliperamas e, lá, se depara com uma sala com um letreiro luminoso escrito "TRON". Nela, o garoto inicia um programa de computador acaba sendo transportado para a GRADE - um mundo virtual habitado por programas com formas humanas e governada pelo tirânico CLU (o clone virtual corrompido de Kevin Flynn). Nele, cada habitante possui um disco de identidade que serve, também, como arma; e CLU deseja roubar o disco de Sam para se materializar no mundo real assim que o portal voltar a se abrir. Após sobreviver de um jogo (com a ajuda de Quorra), Sam encontra seu próprio pai e ambos correm contra o tempo e enfrentam as forças de CLU para voltarem ao mundo real.

Um dos pontos altos do filme é a batalha com motos de luz (Light Cycles), fantásticas motocicletas luminosas que se materializavam de um bastão e podiam criar barreiras transparentes de suas rodas traseiras conforme rodavam pela arena.


A miniatura da Light Cycle do Sam que eu tenho foi produzida pela Spin Master Ltd., série Tron Legacy, em 2010. Apesar de ser descrita como sendo em escala 1:50, é perfeitamente compatível com expositores de miniaturas em escala 1:64, medindo 7,5 cm de comprimento. É die-cast, com rodas de plástico.

Confiram as fotos: