UFO

UFO foi uma série de televisão do Reino Unido do gênero ficção científica criada por Gerry Anderson e Sylvia Anderson, com estreia em setembro de 1970 e cancelamento em julho de 1971. No Brasil, foi exibido na TV Record em 26 de outubro de 1973. O casal Anderson era conhecido por criar séries para a televisão voltadas ao público infanto-juvenil com marionetes no lugar de atores (técnica denominada supermarionation) e cenários e veículos em miniatura, tais como Thunderbirds e Stingray. UFO contava com atores reais, um enredo sombrio e voltado ao público adulto (explorando temas como divórcio, uso de drogas, lixo espacial etc.), mas seus veículos, à semelhança das séries em "supermarionation" do casal, também eram miniaturas mecanizadas.

UFO passava-se num futuro próximo (à época), em 1980, em que alienígenas de aparência humanoide, vindos de um planeta desértico e inóspito, invadem a Terra e abduzem seres humanos para fazer uso de seus órgãos vitais. Em um momento, se sugeriu que os alienígenas seriam, na verdade, homens e mulheres possuídos por mentes extraterrestres que não existiam como matéria e precisavam de corpos humanos como um "invólucro", um "veículo". A defesa da Terra ficava incumbida a uma agência dotada de muita tecnologia - a SHADO (Supreme Headquarters Alien Defence Organization), instalada debaixo de um estúdio de cinema como disfarce, liderada pelo comandante Ed Straker. O nome SHADO remetia à shadow (termo inglês para sombra), uma vez que a agência era ultra-secreta, trabalhando "nas sombras". Um supercomputador conectado a um satélite - SID (Space Intruder Detector) monitorava a presença de OVNIs (objetos voadores não identificados) no espaço e a agência tinha três linhas de defesa: a Base Lunar (com três naves armadas com misseis), o SkyDiver (um submarino que lançava, de dentro do mar, a aeronave "Sky One", que atacava OVNIs na atmosfera da Terra) e os veículos de infantaria terrestres chamados S.H.A.D.O. Mobiles - poderosos carros blindados equipados com "trilhos de lagarta" (sistema de rodagem por esteiras, à semelhança dos tanques de guerra), capazes de transitar sobre terrenos instáveis, com grandes antenas rotativas que funcionavam como radar, navegação GPS, canhões retráteis montados no teto e cargas de profundidade. Embora nunca vistos publicamente, haviam vários deles espalhados pelos continentes terrestres identificados por números. Nos bastidores, os veículos eram miniaturas automatizadas de, aproximadamente, 80 centímetros de comprimento, concebidas por Derek Meddings e Michael Trim.


A miniatura na escala 1/64 que tenho do SHADO 1 foi produzida pela Konami, em 2002, para a série especial "Konami UFO Trading Figures". Apesar de não ser die-cast (não é feita de metal fundido), sendo toda produzida em PVC, a miniatura conta com grande riqueza de detalhes e alta fidelidade para com o modelo original.

Confiram as fotos:


Uma curiosidade que merece apontamento são dois bonecos inseridos no interior da miniatura:

OS SIMPSONS

Os Simpsons (The Simpsons, no original) é uma série animada televisiva norte-americana criada por Matt Groening e produzida pela Fox Broadcasting Company. O embrião da série foram alguns curtas animados exibidos no programa "The Tracey Ullman Show". Com o sucesso, os personagens foram remodelados e estrearam um programa para o horário nobre em dezembro de 1989. Desde então, foram exibidos mais de 600 episódios, sendo uma das séries televisivas mais longevas da história e considerada uma das melhores de todos os tempos, com uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood e diversos prêmios (inclusive 31 Emmy Awards - a maior premiação dada aos programas de televisão). Seu modelo se baseia nas tradicionais sitcom (abreviatura de situation comedy usada para designar séries de televisão com personagens comuns vivendo situações cotidianas). Uma animação longa-metragem foi lançada em julho de 2007 com grande sucesso de público e excelente bilheteria.

Basicamente, Os Simpsons narra as peripécias de uma família típica de classe média estadunidense na fictícia cidade de Springfield. Homer é o patriarca beberrão, inspetor de segurança da Usina Nuclear de Springfield. Sua esposa, Marge, é uma típica dona de casa que tenta manter as coisas sob controle. Seus filhos são: Bart, o garoto rebelde de 10 anos de idade; Lisa, uma garota muito inteligente de 8 anos de idade; e Maggie, uma bebê que não fala, mas que já se mostrou muito inteligente. A família ainda conta com um cachorro chamado Ajudante do Papai Noel e um gato chamado Bola de Neve. O universo da animação conta ainda com dezenas de outros personagens secundários, e, frequentemente, algumas celebridades do mundo real (como astros do futebol, da música, da religião e da política) surgem fazendo uma "ponta". Cada episódio é uma sátira à cultura, ao estilo de vida norte-americano e à condição humana em geral. A abertura de cada episódio costuma ser semelhante entre si, mas sempre com algumas diferenciações. A famosa trilha de abertura foi composta por Danny Elfman.

A família conta com dois veículos: o carro laranja de Marge Simpson (chamado Orange Station Wagon), que quase não aparece na série (exceto na abertura), e um sedan rosa que, geralmente, é dirigido por Homer Simpson. Trata-se de um Plymouth Junkerolla de 1986, um modelo inexistente no mundo real, mas muito semelhante ao Plymouth Reliant de 1984 e ao Plymouth Valiant de 1973. O carro tem a lateral dianteira esquerda levemente amassada, antena de rádio torta, e, segundo o mecânico de confiança de Homer, foi feito na Croácia com peças de tanques soviéticos sucateados. Já foi destruído em diversos episódios, mas sempre apareceu inteiro no episódio seguinte (e com o mesmo amasso na lateral). O modelo do carro somente foi revelado a partir do episódio 11 da temporada 28 ("Pork and Burns") que, finalmente, o identificou como um Plymouth Junkerolla.


A miniatura na escala 1/64 que tenho do mítico Plymouth Junkerolla da família Simpson foi produzida pela Johnny Lightning, em 2003, pela série especial “The Simpsons”. É die-cast, com chassis e carroceria de metal injetado e pneus de borracha. 

Confiram as fotos:

STAR WARS - UMA NOVA ESPERANÇA

Guerra nas Estrelas (Star Wars, no original) é uma franquia do gênero ficção científica e space opera estadunidense criada por George Lucas, contando, atualmente, com oito filmes, dois spin-offs e animações em CGI. É um fenômeno mundial em bilheteria e licenciamentos de produtos como brinquedos, livros e jogos eletrônicos. Seu primeiro filme foi lançado em 25 de maio de 1977. Inicialmente, foi chamado apenas de "Star Wars", posto que, apesar de George Lucas ter idealizado a franquia com seis episódios, não se acreditava que a história renderia continuações. Com o sucesso, o título do filme passou a ser denominado, a partir de 1981 (com o lançamento da sequência "O Império Contra-Ataca"): Star Wars Episódio IV - Uma Nova Esperança. Nele, a senadora da República Galáctica, Leia Organa, é parte da "Aliança Rebelde", uma resistência contra o Império que está se expandindo, e rouba o projeto de criação de uma arma chamada "Estrela da Morte". Com o oficial Darth Vader ao seu encalço, ela insere o projeto na memória de um droide R2-D2 e o lança pelo espaço, juntamente com seu parceiro, o droide C-3PO, num módulo de escape de sua nave. O módulo acaba caindo nas mãos de Luke Skywalker. Ao limpar R2-D2, Luke aciona uma mensagem holográfica de Leia Organa pedindo ajuda à um desconhecido Obi-Wan Kenobi. Numa noite, R2-D2 foge pelo deserto em busca de Obi-Wan e Luke sai em sua procura, mas são ambos capturados pelo Povo de Areia e salvos pelo próprio Obi-Wan Kenobi. Luke retorna para sua terra, mas descobre que seus tios acabaram de ser mortos pelos oficiais Stormtroopers, do Império Galáctico. Desolado, concorda em ajudar Obi-Wan Kenobi a destruir a "Estrela da Morte" e salvar Leia Organa. Enquanto isso, é treinado por Obi-Wan para se tornar um guerreiro Jedi (um guardião da Força - poder metafísico e onipresente que rege a vida para o bem ou para o mal). Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança foi a maior bilheteria de sua época; teve 10 indicações ao Oscar e é classificado como um dos melhores filmes de ficção científica da história. Para muitos, foi o precursor da era dos blockbusters (designação de filmes extremamente rentáveis comercialmente, com grande sucesso de público).

Em Tatooine, Luke Skywalker fazia uso de um landspeeder do tipo X-34. Trata-se de um veículo terrestre com motor de repulsão que o permite flutuar e atingir altas velocidades, auxiliado com três turbinas axiais refrigeradas a ar. O landspeeder de Luke estava velho, sem a capota de uma das turbinas, mas ainda operacional. Foi vendido no planeta Mos Eisley a troco de uma passagem para o planeta Alderann. Nos bastidores, foi projetado pela empresa Ogle Design utilizando chassis de um Bond Bug.

 

A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Landspeeder de Luke Skaywalker foi produzido pela Tomica, marca da empresa Takara Tomy, em 2015. É die-cast, com chassis e carroceria de metal injetado e três rodas transparente de plástico translúcido.

Confiram as fotos:
 

BATMAN E ROBIN

Batman e Robin é um filme norte-americano de 1997, dirigido por Joel Schumacher, baseado no personagem homônimo da DC Comics, em continuação de Batman Eternamente (de 1995), com George Clooney substituindo Val Kilmer no papel principal. Tido como o filme que quase sepultou a franquia Batman no cinema, contando com personagens demais numa estória enfadonha, recheada de diálogos frívolos, situações "cômicas" sem graça (como o infame batcard), ambientada numa Gotham City multicolorida, recebeu 11 indicações ao Framboesa de Ouro (a paródia do Oscar), incluindo a de "Pior Filme" de 1997. O roteiro é tão superficial que não vale a pena minuciar. Basta dizer que o enredo gira em torno dos heróis de uniformes emborrachados imitando mamilos e tapas-sexo Batman, Robin e Batgirl, enfrentando os vilões Senhor Frio e Hera Venenosa (e, eventualmente, Bane). Apesar de tudo, estreou no topo das bilheterias e até conseguiu recuperar seu investimento, mas, aos poucos, foi perdendo público até se tornar o filme menos lucrativo de Batman da história.

Como todos os filmes do "homem-morcego", este também tinha seu batmóvel: um espalhafatoso conversível de quase 10 metros de comprimento com capacidade para transportar somente UMA pessoa! Contava com duas grandes asas laterais, a tradicional turbina a jato foi substituída por seis bicos de escape menores (três para cada lateral traseira), e a parte elétrica e o motor eram parcialmente visíveis e iluminados em neons nas laterais e no bico frontal. Foi concebido por Barbara Ling a partir de esboços de Harald Belker.


A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do batmóvel deste filme foi produzido pela Tomica, marca da empresa Takara Tomy, pela série "Batmobile Collection" do selo "Tomica Limited", em 2012. É die-cast, com chassis e carroceria de metal injetado, aletas de plástico e pneus de borracha com amortecedores nas rodas.

Confiram as fotos:





Para facilitar a exposição da miniatura em nichos menores, as aletas laterais são destacáveis.

CHUGGINGTON

Chuggington é uma série animada estadunidense-britânica infantil de 2008, produzida em CGI pela Ludorum PLC. É exibida pelos canais Disney Channel e BBC Two. A premissa da série é ensinar lições simples para crianças em fase pré-escolar. Chuggington é o nome de uma cidade fictícia onde convivem humanos e trens falantes. Seus protagonistas são três chuggers, os pequenos estagiários da cidade: Wilson, Brewster e Koko. Cada chugger pertence a um grupo específico de locomotivas ("Chug Patrol", "The Chuggineers" e "Speed Fleet"), diferenciado por cores, e cada grupo tem o seu mentor (uma locomotiva mais experiente). Dentre os protagonistas, sobressai-se Wilson, a locomotiva vermelha de gênero masculino, estagiário do Chug Patrol, brincalhão, meio impulsivo e nem sempre concentrado, ansioso por aprender novas habilidades. Seu mentor é Jackman. Wilson é baseado na locomotiva diesel-elétrica americana EMD F3. Uma curiosidade é que a empresa Ludorum PLC foi criada por dois dissidentes da HiT Entertainment, empresa de animações em CGI responsável pelas séries atuais de "Thomas e Seus Amigos" (que também explora a temática trens de carga falantes). No entanto, Chuggington se difere pela ambientação, sendo uma cidade moderna e colorida (enquanto a "Ilha de Sodor", de Thomas e Seus Amigos, é mais natural e montanhosa, focada em trilhos de trem), pelo design dos personagens e pela tonalidade mais bem humorada de suas estórias.



A miniatura na escala 1:64 que eu tenho do Wilson foi produzida no ano 2017 pela Learning Curve - marca de brinquedos da fabricante japonesa Tomy - para a série "Chuggington". É die-cast, com carroceria de metal injetado, rodas de plástico e encaixes para se conectar com as miniaturas de outros personagens da série. Seu tamanho chega a 9,3 cm de largura - com os encaixes (que não são destacáveis) - por 4,3 cm de altura, o que pode dificultar seu armazenamento em expositores de formato colmeia (em que a medida padrão de seus nichos são 9 cm de comprimento por 4 cm de altura).

Confiram as fotos: